segunda-feira, agosto 29, 2011

Um poema a cada segunda-feira (XLI)



Quando das comemorações do Dia Mundial da Poesia, Paulo Pires, Técnico Superior da Biblioteca Municipal de Silves, compilou uma antologia que intitulou POESIA 21, porque se refere a 21 poetas e ao dia 21 de Março.
São trabalhos desses 21 poetas, gente que se vem afirmando no nosso mundo literário, que aqui estou a incluir desde a XX edição.



  • *

A minha alegria é um aroma de tangerinas nos dedos,
comer aos gomos a paisagem
e limpar depois
a boca
à manga do espanto.

Vasco Gato
Um Mover de Mão
Assírio & Alvim, Lisboa, 2000
IMO
Quasi, Vila Nova de Famalicão, 2003
47
edição de autor, Vila Nova de Famalicão, 2005
A Prisão e Paixão de Egon Schiele
& Etc., Lisboa, 2005
Omertà
Quasi, Vila Nova de Famalicão, 2007
Cerco Voluntário
Cadernos do Campo Alegre/13, Fundação Ciência
e Desenvolvimento, Porto, 2009

Rusga
Livraria Trama, Lisboa, 2010
Poesia 21
Parceria Biblioteca Municipal de Silves / Escola Secundária de Silves

Siga-me no twitter
e/ou
Divulgue esta página com um

sexta-feira, agosto 26, 2011

Teatro grego num Teatro Romano


Quando pela primeira vez visitei Mérida e o seu monumental Teatro Romano soube que nesse lugar, em cada verão, ali acontece um festival de teatro.

Em cada verão que entretanto passou ou esquecia ou nem sequer tinha notícia desse acontecimento, salvo uma vez em que um amigo me chamou a atenção para uma peça que estava ser transmitida em direto pela televisão espanhola.

Este ano foi de novo uma amiga que me disse ter assistido a uma peça neste local e, lastimando-me por sempre acabar por perder oportunidades, disse-me ela que a peça continuaria em cena até dia 28 deste mês de agosto.

Desta vez não perdi a oportunidade, se bem que já na 57ª edição deste festival.

O anfiteatro, de que vos podeis aperceber na foto, proporciona este belo enquadramento.
Não possuo fotos da representação, com muita pena minha, dada a interdição de fotografar.

Deixem-me que vos diga que as coreagrafias, a música e os cantos, os efeitos cénicos, toda a encenação pensada para este lugar tão nobre, tão monumental, tão adequado à representação desta tragédia de Sófocles - Antígona - foi um completo deslumbramento dos sentidos. Nunca tinha assistido a um espetáculo tão envolvente.

Atores e coros agradecendo, no final do espetáculo.


Já os atores se recolheram, o público abandona o anfiteatro e a iluminação brinda-nos com este efeito.

P.S. Saibam que, ao clicar nas fotos, obtém uma cópia ampliada.

Siga-me no twitter
e/ou
Divulgue esta página com um

segunda-feira, agosto 22, 2011

Um poema a cada segunda-feira (XL)



Quando das comemorações do Dia Mundial da Poesia, Paulo Pires, Técnico Superior da Biblioteca Municipal de Silves, compilou uma antologia que intitulou POESIA 21, porque se refere a 21 poetas e ao dia 21 de Março.
São trabalhos desses 21 poetas, gente que se vem afirmando no nosso mundo literário, que aqui estou a incluir desde a XX edição.



  • *

instintivas no seu papel,
como o estrume que o campo come

ordenam-lhes que meçam o
sonho com o tamanho da
noite e nunca com o
dia, mas adoecem
infectadas de desejos

valter hugo mãe
contabilidade – poesia 1996-2010
Objectiva, Carnaxide, 2010
Poesia 21
Parceria Biblioteca Municipal de Silves / Escola Secundária de Silves

Siga-me no twitter
e/ou
Divulgue esta página com um

segunda-feira, agosto 15, 2011

Um poema a cada segunda-feira (XXXIX)



Quando das comemorações do Dia Mundial da Poesia, Paulo Pires, Técnico Superior da Biblioteca Municipal de Silves, compilou uma antologia que intitulou POESIA 21, porque se refere a 21 poetas e ao dia 21 de Março.
São trabalhos desses 21 poetas, gente que se vem afirmando no nosso mundo literário, que aqui estou a incluir desde a XX edição.



  • KARMA

e duvidamos dos instantes
mas não de todo o tempo,
dos versos mas não da poesia.
se alguém nos disser
que o tempo parece uma cascata de céus
acreditamos mais facilmente
do que se alguém disser
que nos ama.
e acreditamos nos poetas,
e não naqueles loucos
que dizem que uma pessoa
se mata muitas vezes
se tiver muitos corpos. e duvidamos
de certas palavras
mas não de todas as combinações
entre sílabas. acreditamos
na geração do movimento mas
não conseguimos sair do meio do caos.
e acreditamos nos tiros
que acabámos de ver partir
mas não que estamos
prestes a morrer.

Tiago Nené
Polishop
edição bilingue com tradução para espanhol de Santiago
Aguaded, colecção "Palavra Ibérica", Ayuntamento de Punta Umbria, 2010

Poesia 21
Parceria Biblioteca Municipal de Silves / Escola Secundária de Silves

Siga-me no twitter
e/ou
Divulgue esta página com um

terça-feira, agosto 09, 2011

segunda-feira, agosto 08, 2011

Um poema a cada segunda-feira (XXXVIII)



Quando das comemorações do Dia Mundial da Poesia, Paulo Pires, Técnico Superior da Biblioteca Municipal de Silves, compilou uma antologia que intitulou POESIA 21, porque se refere a 21 poetas e ao dia 21 de Março.
São trabalhos desses 21 poetas, gente que se vem afirmando no nosso mundo literário, que aqui estou a incluir desde a XX edição.



  • ABSINTO

Pouso a solidão na mesa
a imagem
há algo de social
agora que são poucos os que não dormem.
E os outros todos, os bilhões,
os colhões da humanidade
que se levantam de manhã
e não falam
exalam um odor seco e intoxicante
de vinho a martelo
mal encarados
pobres portuguesinhos
fechados a cadeado
achim e achado
bamos andando
calando e soltando as agressões
que há muito estavam mudas
e que nesta noite onde as ruas estão vazias
e nas casas nem sequer se fala
nem se discutem os mínimos problemas
da miséria e da mesquinhez.
no fundo, o pequeno grande português:
– Cale-se.

– Não me calo, mas ando na miséria,
protesto mas nem sequer falo,
sento-me debaixo de um autocarro,
discuto, grito e gesticulo,
mas calo-me.

Onde está esse gajo português de 500
que ia dar passeios de barco à vela
descobrindo novos caminhos?

Acho que esse gajo deve estar na paragem
há duas horas à espera do autocarro
para andar uma paragem
coxo, cheio de sacos de plástico.
Mas vai-se andando,
com o Inverno as dores pioram
só o salário e a pensão é que não pioram,
não sobem, nem descem
porque quase não existem.

Tiago Gomes
Auto-ajuda
Mariposa Azual, Lisboa, 2009
Poesia 21
Parceria Biblioteca Municipal de Silves / Escola Secundária de Silves

Siga-me no twitter
e/ou
Divulgue esta página com um

segunda-feira, agosto 01, 2011

Um poema a cada segunda-feira (XXXVII)



Quando das comemorações do Dia Mundial da Poesia, Paulo Pires, Técnico Superior da Biblioteca Municipal de Silves, compilou uma antologia que intitulou POESIA 21, porque se refere a 21 poetas e ao dia 21 de Março.
São trabalhos desses 21 poetas, gente que se vem afirmando no nosso mundo literário, que aqui estou a incluir desde a XX edição.



  • "HE LOVED BEAUTY THAT LOOKED KIND OF DESTROYED. " (*)

Gostava dessa espécie de beleza
que podemos surpreender a cada passo,
desvelada pelo acaso numa esquina
de arrabalde; a beleza de uma casa devoluta
que foi toda a infância de alguém,
com visitas ao domingo e tardes no quintal
depois da escola; a beleza crepuscular
de alguns rostos num retrato de família
a preto e branco, ou a de certos hotéis
que conheceram há muito os seus dias de fulgor
e foram perdendo estrelas; a beleza condenada
que nos toma de repente, como um verso
ou o desejo, como um copo que se parte
e dispersa no soalho a frágil luz de um instante.
Gostava de tudo isso que o deixava muito a sós
consigo mesmo, essa espécie de beleza
arruinada
onde a vida encontra o espelho mais fiel.


(*) - James Gavin, Deep in a Dream: The Long Night of Chet Baker, Londres, Vintage, 2003, p.239.


Rui Pires Cabral
Geografia das Estações
edição de autor, Vila Real, 1994
A Super-Realidade
edição de autor, Vila Real, 1995
Música Antológica & Onze Cidades
Presença, Lisboa, 1997
Praças e Quintais
Averno, Lisboa, 2003
Longe da Aldeia
Averno, Lisboa, 2005
Capitais da Solidão
Teatro de Vila Real, Vila Real, 2006
Oráculos de Cabeceira
Averno, Lisboa, 2009
Poesia 21
Parceria Biblioteca Municipal de Silves / Escola Secundária de Silves

Siga-me no twitter
e/ou
Divulgue esta página com um