quarta-feira, dezembro 06, 2006

Solidão ao fim da rua

Só na cidade deserta, Tavira, Verão de 2006, © António Baeta Oliveira


  • Subitamente descobriu-se

    na cidade deserta
    ao entender a ausência
    de qualquer sentido
    no percurso que a levara
    até ao fim
    daquela rua


Recordando uma antiga fotografia comentada - Silves em Agosto (clique) - publicada em 25 de Agosto de 2003.

11 comentários:

k27 disse...

Gostei...Ó Baeta! abraço.

António Baeta disse...

Vinte sete, ó capa!

Anónimo disse...

Da concisão poética! Gostei.

Torquato da Luz disse...

Pois é, Toy, a ausência magoa mesmo, como dizes.

António Baeta disse...

Helena, obrigado.

António Baeta disse...

Torquato, obrigado.

Anónimo disse...

Não são os sentidos (sejam quais forem eles) a essência da vida que nos leva a qualquer lugar? A ausencia de sentido é realmente solidão no seu estado mais puro.
Senti muito estas tuas palavras e imagem(s). Gostei muito. bjs

António Baeta disse...

Curioso. Ainda hoje falei de ti, com a Carla.
Obrigado pelo teu comentário. Beijo.

Pecaaas disse...

Depois de uns dias ausente em terras de Àfrica, cá estou de novo para saber as últimas!
Abr
Pedro

António Baeta disse...

É um prazer ver-te por aqui, Pedro.
Bom regresso!

Anónimo disse...

............♥
...........***
..........*****
.........*Bom*
........***Fim***
......*****De*****
.....***Semana***
....****************
...******************
..********************
..........****
..........****
..........****
....(`“•.¸ ¸.•“´)
.....♥ Nadir ♥ .
....(¸.•“´ `“•.¸)