segunda-feira, junho 11, 2007

Raro fim-de-semana cultural

Apenas cerca de meio milhar de pessoas, em todo o Algarve, se disponibilizou para assistir, neste fim-de-semana que agora terminou, a dois raros momentos de elevado valor cultural.
Ambos servidos por uma estética contemporânea, algo vanguardista até, coincidiam em temas de reflexão sobre as relações pessoais no mundo de hoje, nomeadamente as relações amorosas.
Falo de Comédia em 3 Actos, com a assinatura do Teatro da Garagem, sedeado em Lisboa, que escolheu o CAPa (Centro de Artes Performativas do Algarve), em Faro, para esta sua estreia nacional, e de Daqui em diante..., da Companhia de Dança de Olga Roriz, no Auditório Municipal de Lagoa.

Isto sucede numa região cuja oferta começa a ganhar consistência, embora revele, na maior parte das vezes, certa apetência por espectáculos de alguma garantia institucional, quero significar que dirigidos ao gosto de uma maioria consumidora de cultura, reflectindo, de certo modo, as opções estéticas do poder instituído, mais arrojadas nas concepções que têm a ver com a forma do que propriamente com o conteúdo, numa estética de alguma solidez clássica e aristotélica, sem grandes intervenções críticas sobre os problemas da nossa contemporaneidade ou, pelo menos, numa perspectiva que não permite o reflexo de outros sectores de pensamento, minoritários é certo, mas que não se enquadram nas ideologias, filosofias ou estéticas mais comuns e que dominaram o pensamento do século passado.

O texto alongou-se para além da minha intenção inicial. Em próximo post debruçar-me-ei sobre a forma como vivi os dois espectáculos a que faço referência.

2 comentários:

hfm disse...

Dois grandes e raros momentos, seguramente. E não só no Algarve, subscrevo todas as tuas palavras alargando-as a Portugal, mesmo na capital.

Um abraço

António Baeta disse...

Obrigado pelo teu comentário, que deriva certamente de uma partilha e pontos de vista muito próximos sobre a questão cultural.
Um abraço, minha amiga.