segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Poemas de um algarvio

Faz tempo que esta página não divulga um poema e mais tempo ainda que o não faz em relação a um poeta luso-árabe.
Al-Kumait al-Gharbí viveu no séc. XI e embora se saiba da sua presença na corte de Musta'in, em Saragoça, ostenta esta alcunha de ...o algarvio, o que faz dele um poeta luso-árabe.


  • o vinho é meu gozo
    minha gala amar
    minha ânsia essa boca
    e na alba os provar.
    não oiças censuras
    - que as leve o vento! -
    ao triste em agruras
    ninguém dá alento:
    só excitam os ardores
    do amor os censores.


  • néctar entre sombra
    e a luz se apagou.
    deitado na alfombra
    o copeiro odiou
    o tempo mansinho
    que passei com o vinho.
    dela o cabelo
    é a noite escura
    de onde o rosto belo
    trouxe luz mais pura.

Adalberto Alves
O meu coração é árabe
Assírio & Alvim, Lisboa 1998

4 comentários:

Santos Passos disse...

Muito bom, Baeta, muito bom.
Abração.

António Baeta disse...

Outro abração, meu amigo.

Fazia tempo!!!!!

hfm disse...

Só para dizer que voltava lá dia 1 de Abril para rever o 1st Emperor e os seus guerreiros. Magnífico! Eu estive na bicha desde as 7 a manhã para apanhar um dos 500 bilhetes e consegui com entrada logo às 10h, regelada mas confortada por dentro! Se puderes vai ver o From Russian na Academia em Picadilly Street - quadros dos museus de S. Petersburgo e Moscovo os impressionistas franceses - sem palavras! Depois conto melhor. Ainda aconselho a Courtald em Somerset House perto de Temple Church e está lá uma exposição à volta do quadro de Manet - the balcony. Um abraço

António Baeta disse...

Obrigado pelas dicas preciosas, mas no que se refere aos guerreiros já tenho bilhete prévio.
Podes crer que as irei seguir, fielmente, assim a vida o proporcione.
Um beijo amigo, Helena.