terça-feira, maio 20, 2008

Nas margens da poesia

Durante a III Bienal de Sives foi publicada uma antologia que recebeu o título em epígrafe.
Conto seleccionar e trazer-vos alguns poemas, um pouco ao sabor do momento.
Hoje seleccionei um poema de um amigo, natural de Silves, que teve a amabilidade de me oferecer um exemplar autografado.

  • Veraneio

    Tenho o mar à minha frente
    e não sei que fazer
    camones ao sol e não
    marinheiros nesta costa

    Sei de ilhas algures para lá
    deste horizonte imenso e limitado

    - Vai mais um mergulho, querida?

    É Agosto e faz calor

    Não há nada a fazer
    neste Algarve


Paulo Penisga
Nas margens da poesia
Câmara Municipal de Silves, 2008

2 comentários:

manuel a. domingos disse...

gostei muito de te rever. gostei de conhecer o Paulo. e este é um poema muito bom

António Baeta disse...

Independentemente deste teu comentário, o próximo poema será teu.