segunda-feira, novembro 07, 2005

Sacode as nuvens...

A 6 de Novembro de 1919 nasceu Sophia.
Não tive oportunidade de aqui deixar, ontem, a singela homenagem que tinha programado. Faço-o hoje.

  • Sacode as nuvens...

    Sacode as nuvens que te poisam nos cabelos,
    Sacode as aves que te levam o olhar,
    Sacode os sonhos mais pesados do que as pedras.

    Porque eu cheguei e é tempo de me veres,
    Mesmo que os meus gestos te trespassem
    De solidão e tu caias em poeira,
    Mesmo que a minha voz queime o ar que tu respiras
    E os teus olhos nunca mais possam olhar.

Sophia de Mello Breyner Andresen
Cem poemas de Sophia
Editorial Caminho, Lisboa 2004

3 comentários:

RS disse...

É sempre um prazer regressar assim, com Sophia.
Já devia saber que continuavas.
Até muito breve, meu amigo.

"Prometeram-nos enterrar n'A Sombra a árvore do bem e do mal (...)
É o tempo dos Assassinos."

(adaptado de Rimbaud)

Santos Passos disse...

Que belo poema escolheste.

hfm disse...

Sophia sempre!