sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Em véspera de Carnaval

Ainda aqui não tinha feito figurar Álvaro de Campos, este algarvio de que tanto gosto. Lia-o, ontem à tarde, quando a propósito do depor ou tornar a pôr a máscara, me revi, criança, em época de Carnaval.
Máscara veneziana, Fevereiro 2006, © António Baeta Oliveira



  • Depus a máscara e vi-me ao espelho. -
    Era a criança de há quantos anos.
    Não tinha mudado nada...
    É essa a vantagem de saber tirar a máscara.
    É-se sempre a criança,
    O passado que foi
    A criança.
    Depus a máscara e tornei a pô-la.
    Assim é melhor,
    Assim sem a máscara.
    E volto à personalidade como a um términus de linha.

Álvaro de Campos
Fernando Pessoa
POESIAS de Álvaro de Campos
Editorial Nova Ática

14 comentários:

acbelix disse...

Das sementes que apanhas-te
foste semeando á mão
e no teu blog plantas-te
poemas do coração

a coleita que fizes-te
dará um dia talvez
para mostrar que quises-te
cantar sempre em português

apanhar esses bocados
de pensamentos tão puros
da gosto, ficamos tocados
são acontecimentos raros

nao deixes de ca meter
poemas que cantam os corações
a mim ja me deu prazer
imagina as proximas gerações

Miro
(Acbelix)

Anónimo disse...

Apanhaste, plantaste, fizeste, quiseste - tudo iso sem hífen, caro Acbelix!!!

Anónimo disse...

Isto, é claro.

hfm disse...

"E volto à personalidade como a um términus de linha." Sempre ele.

hfm disse...

Ele Fernando Pessoa ou os seus outros.

António Baeta disse...

Bem me queria parecer. Pensei também que falasses no teu ponto; o que produz linhas.
Um abraço, Helena.

RS disse...

De todas as pessoas que é Pessoa, esta é a que mais amo.

Um abraço,
RS

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Bom carnaval, bom fim de semana
Bjx

TMara disse...

mantê-la o grande desafio. Bjs e ;)

Amadeus disse...

Álvaro de Campos a viry good choice.

António Baeta disse...

Nadir, Amadeus e TMara, obrigado pela vossa visita.

António Baeta disse...

Rui

Estranho não ver aqui o comentário que ontem deixei para ti. Talvez não tenha premido o ENTER.

Nele agradecia os esclarecimentos que tens prestado a propósito do nuclear.
Hoje convido, os que por aqui passam, a lê-los, em A SOMBRA.

RS disse...

Caro António,
Apesar de José Sócrates ter emendado a mão de outros membros do Governo mais "entusiasmados" com esta história do nuclear (fissão), convém estar atento.
Já todos percebemos que não é uma central nuclear que vai resolver nada e que construir um parque de centrais está para além das possiblidades do país, mas o facto é que não foi o desenvolvimento energético o principal objectivo de ressuscitar o projecto. Esse foi, como em tantos outros casos, apenas o lucro fácil para alguns e as regalias para outros.
Estes interesses nunca dormem, na esperança de nos apanhar a dormir.
Não nos deixemos, pois, adormecer.

Um abraço,
RS

acbelix disse...

Se apenas viste os ifens, então tu nada viste, es como os cegos com olhos abertos, que só conseguem ver onde esta o mal, no meio de imagens de beleza. Como dizia um amigo, ver uma nódoa num lençol lavadinho, ainda que seja pequena... nota-se, mas uma nodoa no meio das outras, e só mais uma..

;)