quarta-feira, novembro 14, 2007

Na Praia da Vitória, por Vitorino Nemésio

© António Baeta Oliveira

 


 


 


 


 


Este casarão, mantido de pé em respeito pelo homenageado que figura no pequeno busto, seria uma mera ruína, sem especial interesse, não fosse a ligação que mantém a Vitorino Nemésio.

Mas arrisco-me a afirmar, pelo menos assim o senti, que este casarão ganha vida e quase se consegue imaginá-lo com as suas dez janelas rasgadas sobre a sacada de rexas, depois da leitura desta placa, que não se avista na foto acima, pois fica exactamente na extremidade do edifício, sobre a esquerda (basta contar as janelas, para se entender que a fotografia não abrange o edifício por inteiro).

© António Baeta Oliveira

 


 


 


 


 


 


 


Há edifícios que valem pelo valor de um homem, pelo menos aqui e agora, na cidade de Praia da Vitória.

E não me diga que não lhe cresceu uma vontade de ler
O Mistério do Paço do Milhafre?!

2 comentários:

hfm disse...

Esperando que o aqui e agora seja um para sempre como lhe é devido.

Passei há dias junto ao lugar onde existiu a casa de Garett, para este senhores, deve ser qualquer como:

- Quem é? alguém com poder económico ou tecnológico?

António Baeta disse...

É bem verdade e é essa até a norma, por isso achei esta homenagem a Nemésio bem exemplar, tanto mais quanto a casa nem sequer serve de museu e não tem outro valor imobiliário para além do valor do terreno onde se implanta.