sexta-feira, novembro 02, 2007

Por Todos-os-Santos

Em Silves é tempo da sua feira anual, a Feira de Todos-os-Santos, onde é tema recorrente o Outono, a chegada dos primeiros frios, a chuva ou a seca.
Habitualmente sempre aqui (clique) escrevo sobre a Feira, como o fiz o ano passado e em outros anos, por finais de Outubro ou inícios de Novembro, em posts que é possível encontrar nos arquivos da coluna da esquerda, com excepção feita para o ano de 2005, em que nada escrevi, talvez porque não me tivesse apetecido.
Hoje trago-vos um episódio de uma feira de há uns bons anos atrás.

Os «seringonhos» (farturas), Feira de Todos-os-Santos, Silves, Outubro 2006,© António Baeta Oliveira


  • Por várias vezes me quedei, absorto, à montra da loja, olhando aquela linda blusa de lã.
    A minha mãe, a quem revelei tal desejo, surpreendeu-me ao oferecer-ma pela véspera da Feira.
    Também terá achado linda, aquela linda blusa de lã.
    Estava um belo dia de Sol, a deitar por terra o mito de que chove sempre nesta ocasião.
    Barba feita, banho cheiroso e a linda blusa de lã, com que queria deslumbrar os olhos negros de uma namorada dos meus 18 anos.
    Parti para a feira e para o encontro marcado junto aos carrinhos de choque.
    Cheguei, perlando suor, e avistei-a, ela também com uma linda blusa de lã.
              - Tu também, querido? Em blusa de lã num dia tão quente!
              - Despimo-nos!

Deixem-me dizer-vos que aquela do "Despimo-nos!" não deve ter sido bem assim, talvez antes "Despimo-las?" ou tão só um acordo tácito perante a evidência do desconforto; eventualmente alguma cumplicidade no olhar que então trocámos.
Dado tratar-se da narrativa de um episódio passado há algum tempo, permiti-me alguma liberdade criativa. :)


Este post irá permanecer no topo da página de entrada do blog durante toda uma semana.
Ausento-me, em passeio, por Angra do Heroísmo e pela Terceira, donde conto trazer algo para contar e fotos para vos mostrar.
Até lá!

8 comentários:

Asulado disse...

Boa viagem, então.
Quanto à narrativa, está muito bem assim. Não permitas que pormenores insignificantes como a verdade estraguem uma boa história.

António Baeta disse...

Tens razão, João!
Porque é que essa coisa da "verdade" se há-de intrometer nas nossas história mais bonitas ou estragar os paraísos mais amenos que os políticos nos vendem todos os dias?! :)
Aquele abraço!

Torquato da Luz disse...

Reavivaste-me a saudade dos tempos em que também eu ia à Feira de Silves.
Desejo-te boa viagem por essas ilhas que conheço bem (e de que gosto muito), aguardando com impaciência os textos que prometes.
Um forte abraço.

António Baeta disse...

Obrigado, Torquato!
O prometido é devido.

Marco disse...

Boa viagem então. :) Aguardo então por "escritos" e imagens relativas a essas belas ilhas.

Abraço
Marco

António Baeta disse...

Obrigado, Marco.
Um abraço.

filipa disse...

Olá, encontrei agora por acaso este seu espaço. Fiquei emocionada, consegui recordar-me de momentos felizes que passei em Silves, e da Feira que sempre era esperada com alguma agitação...e dos passeios que por lá dei com a minha mãe, e avó.
Beijinhos da Filipa (da Zambujeira)

HFR disse...

Ah Angra, que inveja; e que saudade, meu amigo, da Terceira.
Abraço de boa-viagem, do Helder.