segunda-feira, outubro 14, 2013

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (VIII)




Painel com a introdução da "Evocação de Silves", de Al-Mu'tamid, à entrada da porta do meu pátio.


O último episódio deixou-nos com Abu Bakr Ibn 'Ammar a entrar em Silves  "com pompa verdadeiramente real".

Deve ter sido no momento em que Ibn 'Ammar se deslocou a Sevilha, junto do rei Al-Mu'tamid, para tomar posse do seu cargo como governador do Gharb, em Silves, que o rei o terá feito portador de um poema, em que recorda os tempos em que aqui viveu, e que passo a transcrever.


EVOCAÇÃO DE SILVES


               saúda por mim, Abu Bakr,
               os queridos lugares de Silves
               e diz-me se deles a saudade
               é tão grande quanto a minha.

               saúda o Palácio dos Balcões,
               da parte de quem nunca o esqueceu,
               morada de leões e de gazelas
               salas e sombras onde eu
               doce refúgio encontrava
               entre ancas opulentas
               e tão estreitas cinturas.

               moças níveas e morenas
               atravessavam-me a alma
               como brancas espadas
               como lanças escuras.

               ai quantas noites fiquei,
               lá no remanso do rio,
               preso nos jogos do amor
               com a da pulseira curva,
               igual aos meandros da água,
               enquanto o tempo passava...

               ela me servia de vinho:
               o vinho do seu olhar,
               às vezes o do seu copo,
               e outras vezes o da boca.

               tangia-me o alaúde
               e eis que eu estremecia
               como se estivesse ouvindo
               tendões de colos cortados.

               mas se retirava as vestes
               grácil detalhe mostrando,
               era ramo de salgueiro
               que me abria o seu botão
               para ostentar a flor.

Al-Mu'tamid
in "O meu coração é árabe"
Adalberto Alves
Assírio & Alvim



____________________



Garcia DominguesHistória Luso-Árabe, edição do Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves, 2010
António Borges CoelhoPortugal na Espanha Árabe, vol. 2 - Editorial Caminho
Adalberto Alves, O meu Coração é Árabe, Assírio & Alvim

____________________




Se estiver interessado na leitura dos episódios anteriores, siga os links abaixo:



Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (I)

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (II)

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (III)

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (IV)

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (V)

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (VI)

Silves, ao tempo da civilização do al-Ândalus (VII)





2 comentários:

Violeta Teixeira disse...

Amante de Silves, e dos poetas Luso-Árabes (tenho a obra e sou poetisa), dou-lhe os meus parabéns por este maravilhoso blog.

Antonio Baeta disse...

Obrigado, Julieta.