segunda-feira, fevereiro 10, 2014

Vasto e imenso oceano






É perante a vastidão que nos damos conta do grão de areia ou da gota de água que nós somos.

Há um homem, muito provavelmente um pescador, só, face ao incomensurável.

Como este homem, avistei outros nesta manhã de passeio pela praia. 

Eu próprio era também um homem só, deslumbrado, atraído pelo que não podia abarcar, escondido por detrás da câmara fotográfica, tentando guardar o momento, a luz, a visão, o olhar, a cor, a sedução daquele todo que parecia caber por inteiro na fotografia, mas que se deformou e se reduziu a este pequeno retângulo colorido, confinado aos seus quatro lados.

Que pequenez, face a este vasto e imenso oceano.


2 comentários:

bettips disse...

Com os seus limites, colhe todavia a luz, a cor e a solidão. A fotografia faz-nos uma companhia tripla (o nosso olhar, o olhar da máquina, o olhar depois) que mais tarde podemos rever. E partilhar.
Abç

Antonio Baeta disse...

Obrigado, bettips.