quinta-feira, abril 19, 2007

Relembrando Ibn 'Ammâr

Ex-Matadouro Municipal, Fevereiro de 2007, © António Baeta Oliveira


  • Há um longo corredor repleto de memórias inscritas no acervo cultural comum aos povos do Mediterrâneo.


A fotografia e o comentário foram suscitados pela apresentação, amanhã, em São Brás de Alportel, de um livro que se debruça sobre o possível percurso que Ibn 'Ammâr teria feito, quando da sua terra natal veio estudar para Silves.
Do livro, eventualmente, vos darei conta depois. Ibn 'Ammâr, esse, recordo-vo-lo já.


  • ela é uma frágil gazela:
    olhares de narciso
    acenos de açucena
    sorriso de margarida.

    e se os seus brincos se agitam
    quedam-se os braceletes na escuta
    da música do requebro da cintura.


Adalberto Alves
O meu coração é árabe
Assírio & Alvim, Lisboa 1999

_______________


Como vem sendo habitual, ao comentar uma fotografia recordo uma outra, anterior - A Xantarim e a Ibn Bassam (clique) - aqui publicada em 24 de Novembro de 2003.

4 comentários:

seilá disse...

algum dia te disse BOM DIA e te dei loas ao blog? não? esqueceste? que interessa.
digo agora bom dia e vou com o rasto de carícia que o poema me deixou.

hfm disse...

Fico aguardando notícias e deliciando-me com a leitura.

António Baeta disse...

Seilá
Lembro-me, sim, do teu nome e da tua "concha". Visitei o teu blog também e soube, por ele, que conheces o Vieira Calado, que eu também conheço, de há muitos anos, nessa bela cidade que eu tanto estimo e onde tenho bons amigos.
Obrigado pelo teu comentário e por esse rasto de carícia.

António Baeta disse...

Fica combinado. Espero não te desapontar.
Um abraço.