segunda-feira, fevereiro 12, 2007

O antigo Matadouro abriu ao público

Ex-Matadouro Municipal, Silves, 11 de Fevereiro de 2007, obtida com a câmara do telemóvel de © António Baeta Oliveira


Aproveitei a ida às urnas e visitei, nas proximidades da minha secção de voto, a exposição do Arqº José Alberto Alegria, patente no restaurado espaço do antigo Matadouro Municipal.
É, de facto, um trabalho muito cuidadoso e de muito bom gosto aquele que tive ocasião de visitar. É um casamento quase perfeito entre o que se expõe e o local onde é exposto.

É certo que o edifício do antigo Matadouro já revelava traços de um certo revivalismo mudéjar, mas, se eu não o soubesse, perguntar-me-ia sobre o porquê daqueles arcos de ferradura, daqueles frisos em estuque, das abóbadas, dos azulejos, dos jardins, dos repuchos de água, das cores, dos materiais, da estética e decoração do local? Não bastaria algo que lembrasse a memória do edifício? Porquê tanta insistência na estética islâmica do interior?

Ah! É que este edifício foi restaurado com o financiamento de fundos comunitários, na ordem dos 820 580 euros, para sede do CELAS (Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves), com a finalidade de ali desenvolver "... eventos culturais que derivam dos objectivos estatutários deste Centro de Cultura Luso-Árabe...", como refere a Memória Descritiva do Projecto, aprovado pela Câmara em 5 de Janeiro de 2000 e executado pelo Arqº Alegria.

Ah! - perguntaria eu, se não o soubesse - então este espaço é a sede do CELAS (Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves)?

Não! - direi eu, porque o sei - este espaço, que agora se intitula de Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica, está a ser indevidamente utilizado pela Câmara, enquanto decorrem processos em Tribunal e na Comunidade Europeia, porque o dinheiro atribuído foi desviado das suas funções pela Câmara Municipal de Silves.

Meus caros. Quer se queira, quer não, o apoio comunitário foi dado para que o edifício restaurado viesse a ser a sede do CELAS (Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves) e isso não está a acontecer.

Escusado será dizer que, propositadamente, não estive na inauguração, mas não me coibi de visitar, no dia seguinte, o local e a exposição ali patente.

4 comentários:

maria disse...

Olá, amigo!
Passei para lhe dizer que, como de costume, gosto do texto e da foto! Parabéns! Um abraço!

Manuel Ramos disse...

Assino por baixo, sobretudo quanto ao último parágrafo, porque fiz exactamente o mesmo.

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

♡  ♥Beijos    ♡    ♥Beijos      ♡       ♥Beijos

♥Beijos    ♡      ♥Beijos       ♡   ♥Beijos ♡   


         ♡    ♥Beijos   ♡      ♥Beijos    ♡         

António Baeta disse...

Nadir
Quando quiseres comentar os posts fá-lo aqui, mas agradeço que reserves os beijos para o email.
Vale?
Beijo.