segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Turismo também é saber receber

Caravanas junto ao rio, Silves, Fevereiro de 2007, © António Baeta Oliveira


Silves é procurada ao longo do ano, com regularidade, por turistas como o da fotografia, que aqui ficam por alguns dias, junto ao rio.
A procura é reveladora de alguma atracção pela cidade, mas devem lamentar-se da ausência de um local onde possam aceder à água necessária para cozinhar e para a sua higiene pessoal, de fossas ou latrinas para escoar os seus detritos. Devem até, eventualmente, ferir alguns dos seus hábitos sanitários ou de protecção da natureza, quando se vêem compelidos a ter que deitar os seus restos de comida, as suas urinas e fezes para alguma zona descampada ou até mesmo para o rio.

Na ausência de qualquer iniciativa privada, no sentido da construção de um parque de caravanismo ou campismo, creio que não seria descabido, à administração da cidade, proporcionar um espaço onde estas necessidades dos caravanistas pudessem ser satisfeitas e onde mecanismos modernos de controlo automático poderiam cobrar pelo serviço prestado.

Fica a sugestão, mas convém que se lembrem de actuar antes que o novo parque de lazer, sobre o rio, fique terminado, porque então irá haver conflito com os utentes do parque ou os que queiram usar as zonas reservadas ao estacionamento automóvel.

4 comentários:

hfm disse...

Mais um olhar acutilante.

Até breve, estou de partida para mais uma viagem.

blugaridades disse...

Uma proposta muito interessante para uma cidade que já foi das mais importantes da Península Ibérica e continua a ser das mais bonitas de Portugal.
Um beijo

António Baeta disse...

Helena

Boa viagem, minha amiga!

António Baeta disse...

Bulgaridades
Obrigado pelo comentário, mas
essa de Silves ter sido uma das mais importantes cidades da Península e actualmente das mais bonitas de Portugal cheira um pouco a bairrismo, não?!
Concordo com a afirmação de alguma da sua importância e também da sua beleza, apesar da "merda" das obras paradas há tanto tempo.