terça-feira, janeiro 13, 2009

O meu ano aqui começou hoje

Senhora da Rocha, Lagoa, Algarve, Janeiro de 2009, © António Baeta OliveiraFoto de António Baeta

É o movimento de rotação do nosso planeta que determina as situações a que usamos chamar dia ou noite; é o movimento de translação deste sistema que gira em volta do Sol que dá azo à existência do que costumamos chamar estações do ano. Mas o que cada um dos habitantes da Terra chama dia ou noite ou Primavera, Verão, Outono ou Inverno é uma questão de posicionamento geográfico ou simplesmente uma leitura cultural própria da civilização em que se vive.
O que significará para um esquimó ou um habitante das proximidades do Árctico, o dia ou a noite, se eles se ficam por períodos longos de seis meses?
Que noção terá um habitante dos trópicos do que são a Primavera ou o Outono, se nunca viveram senão no Inverno ou no Verão?
Que coisa é essa do ano começar em Janeiro, se para muitos, mais até do que nós, (veja-se a China ou os países muçulmanos) ele começa numa altura diferente?

Pois o meu ano neste blog começou hoje, com uma foto que, só quem conhece o local poderá dizer, de fonte segura, se se trata de um amanhecer ou de um sol-pôr.

13 comentários:

HFR disse...

Que comece, então, o teu caminho meu amigo.
Abraço. Helder.

António Baeta disse...

Um abraço, Helder!
Faz tempo, amigo.

FragaSilva disse...

Aposto que é um ocaso, e vale uma imperial.

Abraço e bom ano blogal

hfm disse...

Pode começar quando quiseres mas, por favor, volta mais vezes... é que era gritante esta ausência! Um abraço.

António Baeta disse...

Luís
Amanhã cobras, man!

António Baeta disse...

Oh, Helena!

Deixas-me sem palavras e assim, como hei-de escrever mais vezes?! :)

Torquato da Luz disse...

Até que enfim...
Conheço bem o local e penso que é pôr-do-sol. Mas, daí, nunca se sabe...
Um forte abraço.

HFR disse...

António, agora queria dizer-te que tens um pequeno e belo texto sobre o que na verdade é o conceito de cultura (e de multiculturalidade se quisermos). Aquilo que muita gente abomina e que deveria estar sobre a sua cabeça nesta altura em que já morreram mais de um milhar na Faixa de Gaza.
Novo abraço do Helder.

António Baeta disse...

Torquato, se conheces o local, sabes que ali o Sol só se pode pôr; ali não nasce.
Abraço.

António Baeta disse...

Helder
Embora a questão da Faixa de Gaza não me tivesse ocorrido a este propósito, era mesmo sobre essa coisa de sermos tão iguais e tão diferentes que pretendia falar e dizer que a verdade e a realidade
são, para cada um de nós, feitas à nossa medida: à medida do que vemos, lemos, ouvimos, sentimos e pensamos.
Abraço.

nn disse...

tb eu costumo viajar pelo seu blog e notei a ausencia... bem-vindo a 2009! já agora, desfeita a dúvida, identificado o ocaso, como lhe chama um seu amigo, será que podemos saber, nós, os visitantes desconhecidos, qual é o local...?

António Baeta disse...

Fácil, nn!
Basta passar com o seu rato, vagarosamente, sobre a foto.
Senhora da Rocha, concelho de Lagoa, Algarve.

nn disse...

ok, mas então não havia mistério, na costa sul, se o mar está à esquerda e com horizonte, tem de ser por-do-sol!