quinta-feira, janeiro 22, 2009

Turismo também é saber receber (II)

Parque sobre o Arade, Silves, Janeiro 2009, © António Baeta OliveiraEsta foto foi tirada ontem com o meu telemóvel e só revela parte das 35 caravanas que avistei.
Recordo que há aproximadamente dois anos atrás, aqui (clique), escrevia assim:

  • Silves é procurada ao longo do ano, com regularidade, por turistas como o da fotografia, que aqui ficam por alguns dias, junto ao rio.
    A procura é reveladora de alguma atracção pela cidade, mas devem lamentar-se da ausência de um local onde possam aceder à água necessária para cozinhar e para a sua higiene pessoal, de fossas ou latrinas para escoar os seus detritos. Devem até, eventualmente, ferir alguns dos seus hábitos sanitários ou de protecção da natureza, quando se vêem compelidos a ter que deitar os seus restos de comida, as suas urinas e fezes para alguma zona descampada ou até mesmo para o rio.

    Na ausência de qualquer iniciativa privada, no sentido da construção de um parque de caravanismo ou campismo, creio que não seria descabido, à administração da cidade, proporcionar um espaço onde estas necessidades dos caravanistas pudessem ser satisfeitas e onde mecanismos modernos de controlo automático poderiam cobrar pelo serviço prestado. (.../...)

Pois volto a escrever agora com toda a actualidade, salvo que, entretanto o parque já foi aberto ao público.

Será que não tenho razão e que não é possível receber melhor os que gostam de nos visitar?

2 comentários:

hfm disse...

E que se a opinião pública fosse encarada a sério neste país talvez alguma mudasse. Yes we also can.

António Baeta disse...

Enviei o texto directamente para o Gabinete da Presidente da Câmara. Espero, pelo menos, que o leia.