quinta-feira, agosto 04, 2005

Odeceixe à noite

Odeceixe, Verão 2005, © António Baeta Oliveira

É pelo final da tarde e início da noite que os restaurantes, os bares, os largos, as ruas se agitam, num frenesim que desmente a calma e o sossego da tarde (não patente na fotografia, pois tive que aguardar um momento menos agitado, para poder prolongar um pouco a duração da exposição). Também ainda não era Agosto, o mês das grandes invasões, se bem que em nada se comparem com as que acontecem no litoral algarvio.
Odeceixe renovou-se arquitectonicamente. A intervenção neste largo, em minha opinião, conserva os sinais mais identificativos da sua memória, mantendo o fontanário e algumas árvores, e devolve a praça pública à fruição dos seus residentes e visitantes, afastando as viaturas a partir das 8 da noite. Saibam os proprietários dos edifícios que rodeiam o largo manter as suas fachadas, apesar de algumas alterações menos felizes nos finais dos anos 70 e princípos de 80.
Odeceixe, Verão 2005, © António Baeta Oliveira

Na noite de 27 choveu (situação ímpar neste prolongado tempo de seca) e todos procuraram abrigo sob os toldos, deixando o largo vazio.
Bati a foto a preto e branco para evidenciar os reflexos da iluminação pública. Aí está agora, mais visível, o fontanário que mencionei atrás, já sem a inestética companhia da cabine telefónica de outrora.

P.S.
Termino aqui esta série de posts sobre a minha semana de férias por Maria Vinagre e Odeceixe.
Amanhã trar-vos-ei um novo conto.

3 comentários:

Der@ disse...

Já passei muitos fins-de-semana em Odeceixe e digo, é um dos cantinhos mais bonitos do mundo (do pouco dele ainda) que conheço. Já lá não vou há uns 3 anos e fico contente em saber que houve melhorias. Fica então prometida uma visita a Odeceixe para matar saudades. Já agora, amigo António, vou linkar este exelente blog ao meu mui singelo e humilde.

mb disse...

Deviam ser férias, deviam. Em Cadaqués já o foram noutro ano. É uma série que imaginei dos lugares onde estive, em férias ou não.

Obrigado pelos votos, o que conta é a intenção.

No meu caso, é para dizer que de boas intenções, ou seja, de merecidas férias está o Paraíso cheio, segundo a velha ideia - um claro instrumento de domínio - de que o que não gozámos neste mundo se gozaria no outro.

Um abraço

concha disse...

E que deliciosos os posts! De abrir o apetite!