quarta-feira, maio 24, 2006

Passeio à Magnólia do Convento de Monchique


© Manuela Ramos - Convento de Monchique

Não resisto. Vou remeter-vos para O Parente da Refóias, a que cheguei a partir de Dias com Árvores e do sentido apurado de Manuela Ramos, autora da foto que não roubei, antes aqui figura em viagem directa, a partir dos seus arquivos. (basta clicar na foto)

O Parente da Refóias traz-nos um texto, carregado de memórias e de um sentimento profundo que o liga à sua terra, reproduzindo o dizer tão próprio de Monchique, que se faz acompanhar de elaborado glossário, a facilitar a interpretação do sentido das locuções mais características do falar da sua terra.

Aconselho a não perder esta viagem monte acima, até ao Convento e, antes ainda, à combinação prévia, angariando companhia para o passeio. Saiba dos encontros que se dão pelo caminho e das conversas, tão naturais e simples, contadas como só olhos e ouvidos sensíveis sabem reproduzir. Percorra depois o resto blog e maravilhe-se, como eu, neste trabalho, precioso, de labor etnográfico.
Obrigado, ó Parente da Refóias!

6 comentários:

Rosmaninho disse...

Nã dí o mê tempo p'r mal gasto qu' aquilo é uma coisa que merêce ser vista.
Béque-me o parente da Refóias sai à avó que tamém era assim.:)
Um bêje

António Baeta disse...

O bêje é p'ra mim
ó pró parente da Refóias? :-)

Rosmaninho disse...

Atã, nã se vê logue, p´ra quem é o bêje?:):)

António Baeta disse...

Béq'm podias tamém comprimentar o parente, já que le conheces a avó.

MaD disse...

Pôs ê cá dêxo muntos compriment's p'ôs dôs e já que vieram ler as minhas patochadas, m'tôbrigado m't'agradecido, Noss' Senhor è que 'l' há-de pagar.
O Parente da Refóias

António Baeta disse...

Quem l'agradece sô é, menin', pôs que m'cê tem aí um trabalh' bem jêtose.