sexta-feira, maio 26, 2006

Um poeta de Évora

Com votos de um bom fim-de-semana, um poema de إبن عبدون (Ibn 'Abdun), nascido em Évora no séc. XI:


  • ó noite inolvidável
    feita abraço
    que nos misturou inteiramente
    até que o dorso da treva se vergou
    e na face da idade embranqueceu.
    foi então
    que o manto fino da brisa
    tapou teus ombros, ó noite,
    com a delicadeza do orvalho.

Adalberto Alves
O meu coração é arabe
Assírio & Alvim, Lisboa 1998

6 comentários:

bettips disse...

Saiba o meu amigo que quando se gosta ... vai-se até ao fim da linha, ou da página, ou do livro. E o seu blog é um livro lindo! Além de que há mais de uma década que não passo em Silves e assim me actualizei ... Ai os poetas, ai aquela luz, ai aquele vermelho terra ... e o cheiro de chegar. Saudades!! Bom fim de semana aí
no nosso reino mourisco.

Torquato da Luz disse...

Ao pé de poetas árabes como este, do séc. XI, qualquer de nós não passa de um pobre aprendiz.
Um abraço, Toy, e bom fim-de-semana!

António Baeta disse...

Lamento não saber o seu nome bettips, mas não me vou pôr a adivinhar. ;)
Obrigado!

António Baeta disse...

Torquato
São mesmo surpreendentes, não são?!
Aquele abraço.

Rosmaninho disse...

Poesia árabe...
Com ela aprendi que o meu coração também é árabe.

Um beijo

António Baeta disse...

Tal como eu. Mas se calhar não é mesmo árabe, talvez só bata ao mesmo ritmo; ao ritmo do Mediterrâneo.
Um beijo.