terça-feira, agosto 24, 2004

A poesia árabe "pré-peninsular"

Outro enriquecimento da minha viagem a Xauen, nomeadamente durante a estadia em Sevilha, foi o do contacto com publicações de poesia e literatura árabe clássicas. Acedi desta forma a poetas e poemas que antecederam no tempo os andalusinos que aqui venho divulgando.

Jamil Butayna, do final do séc. VII, depois da transferência do califado Omíada para Damasco, é um dos mais notáveis representantes da poesia amorosa -'udri-, caracteristicamente dedicada a uma só mulher, cujo nome os poetas faziam figurar junto ao seu.
Butayna é, assim, o alvo da poesia de Jamil, quando canta:

  • Amigos:
    Alguma vez vistes um morto chorar de amor
    pelo seu assassino
    como o choro eu?


'Umar Ibn Abi Rabi'a, falecido na segunda década do séc. VIII, cultivava uma poesia amorosa erótica e urbana - ibahi - liberta já da poesia 'udri, dos pares enamorados e de uma visão mítica da mulher.
Não me atrevo a traduzir este poema, mais elaborado, por isso o mantenho em castelhano:

  • Desnuda un día por el calor, preguntó a sus vecinas:
    Me veis como él me ve o exagera acaso?
    Y riéndose entre si le contestaron:
    la persona amada a todos los ojos parece bella.
    Por celos hablaron.
    Tan vieja como el hombre es la envidia.


Notas do (apostador):
            - andalusino(a) é um vocábulo usado pelo arabista Adalberto Alves quando se pretende referir aos naturais da Península ao tempo do al-Andalus. Usa-o para que se não confunda com andaluz(a), atribuído aos naturais da actual Andaluzia.
            - 'udri, quer dizer casta;
            - ibahi, refere-se a sensual.


1 comentário:

Sara Xavier disse...

Apesar de um pouco desfasada no tempo continuo a leitura destes posts.

Abraço

Sara