quinta-feira, janeiro 27, 2005

Líricos algarvios (X)

Vai longa a mostra de "Líricos algarvios". Termino hoje as colaborações que me foram enviadas, com a participação do meu amigo e poeta José Carlos Barros, que há tempo consta da lista ao fundo desta página.
António Vicente Campinas (Vila Nova de Cacela):

      • Idealismo
        (Poema dedicado a António Pereira, de Armação de Pêra)

        Quando pequeno, o meu pensar errava,
        embriagado de luz e fantasia,
        por caminhos que nunca procurava,
        por lugares que nunca percorria.

        No seu feliz enlevo, ele cantava,
        - nesta vida de dor e rebeldia! -
        somente o Bem e o Amor, - em melodia
        que a minha ingénua alma fascinava.

        O tempo foi passando... E foi em vão
        que esperei sempre, sempre, a perfeição
        p'ra mim muito sonhada e não vivida.

        Confiado na Justiça e na Beleza,
        quedei-me bom, mas cheio de pobreza,
        sem, ao menos, saber viver a vida...

(in "Açucenas Bravas", Livraria Horácio Salvador, Faro, 1938)


2 comentários:

homociclina disse...

S󠨯je reparei neste blog. Eu sou de Lagos e gosto de poesia, pelo que fiquei f⮠Voltarei mais vezes! Gostei!

Santos Passos disse...

António: que coisas mais lindas. não tenho nada a dizer. só dar-te um abraço de muita saudade.