quinta-feira, março 11, 2004

A Silves. Ao Sul

Um amigo enviou-me o poema que se segue, tão simplesmente porque contém uma breve referência a Silves e achou que eu iria gostar:


  • Benvindo aos mares do sul.
    Sejam claros os dias
    pelos caminhos que trazes.

    Onde um pássaro se despede.

    O sol cai sobre o corpo
    frente aos desejos da manhã.

    A fronte
    barco saindo a baía
    num adeus a estas praias do
    sul.

    O temor é o mês diurno, o
    meio-dia num pátio de Silves.

    Dormimos sobre a infância
    sobre os lugares da juventude
    a paisagem
    as palavras que dissemos

    não podiam ser noutro país
    nem noutro corpo
    nem noutro século.

    E apesar da rota que traça
    o marinheiro

    benvindo aos mares do sul.

João Miguel Fernandes Jorge
À beira do mar de Junho

Gostei, Manuel!
Um abraço.

1 comentário:

Sara Xavier disse...

E eu gosto muito do autor!