terça-feira, abril 19, 2005

II Bienal de Poesia


Esta imagem foi-me apresentada este fim-de-semana num bar, em Silves, servindo de base ao copo que continha a minha cerveja. Como esta conheci ainda outras, não necessariamente sob um dos meus copos, com poemas de Maria Teresa Horta, Jorge de Sena, Eugénio de Andrade, Natália Correia e Fernando Pessoa (Alberto Caeiro).
As montras dos estabelecimentos comerciais ostentam cartazes com os mesmos motivos e até os restaurantes passaram a servir-nos poesia nas prosaicas toalhas de mesa.

Gosto da forma como se está divulgando a iniciativa. Os meus parabéns a quem a concebeu.

1 comentário:

Laurindinha disse...

Está muito bonito, realmente.