quarta-feira, março 08, 2006

A (de) João de Deus


© www.universal.pt


Lembrando o lírico maior deste meu Algarve, em dia de seu aniversário.

  • PÁTRIA

    Como o pródigo volta ao lar paterno
    Desenganado do que em vão procura,
    Eu já desfalecido nesta lida
    de sonhos sobre sonhos de ventura,
    Desejava dormir o sono eterno
    Abrindo junto ao berço a sepultura!
    Fechar em suma o círculo da vida
    No saudoso ponto de partida!

    Chegado pois, Senhor, aquele dia
    Que se me apague a luz que me alumia,
    Deixai-me descansar onde repousa
    Meu santo pai, e sua eterna esposa
          - A minha santa mãe!
    Ser-me-á assim mais leve a fria lousa...
    Que a terra onde se nasce é mãe também!

João de Deus
ALGARVE todo o mar
(Colectânea)
Publicações Dom Quixote, Lisboa 2005


P.S.
Amanhã, 9 de Março, pelas 21h30, na Igreja Matriz de São Bartolomeu de Messines, em homenagem a João de Deus, Concerto pela Orquestra do Algarve.

10 comentários:

hfm disse...

O homem que mais influenciou o meu amor à poesia. Através da Cartilha Maternal no Jardim Escola João de Deus aprendi a ler, nos seus poemas aprendi o ritmo, a beleza e a "intimizar" essa tal de poesia.
Obrigada pelos post.

António Baeta disse...

Quem agradece sou eu, Helena, pelo teu testemunho.

fernanda s.m. disse...

Aqui deixo o meu testemunho similar ao de HFM. Eu, como muitos da minha geração e da minha família, e mais tarde os meus filhos, aprendemos a ler pela Cartilha Maternal no Jardim Escola João de Deus, e foi uma descoberta maravilhosa, porque, ao mesmo tempo que descobria o prazer de saber ler, descobri que havia uma expressão linda, musical que se chamava poesia.
Ainda bem que alguém se vai lembrando !

António Baeta disse...

Fernanda
Ainda não nos "conhecemos". É a segunda vez que a vejo por aqui, mas o que diz revela muito da sua sensibilidade, Obrigado!

fernanda s.m. disse...

Obrigada, António. Passo muitas vezes para ler, nem sempre comento. Comecei a visitar o seu Local&Blogal quando descobri aqui poesia árabe da qual sou admiradora, e uns aromas do sul que me matam saudades...e fui ficando...Gosto muito da variedade aqui publicada.
Até breve.

Santos Passos disse...

Teu blog é realmente um oásis.
Abraço

António Baeta disse...

Não me digas que o teu fica no deserto? ;-)

É o teu olhar amigo que te confunde.

Um abraço.

António Baeta disse...

Fernanda
Obrigado pelas suas palavras.

Essas saudades do Sul revelam uma algarvia?

fernanda s.m. disse...

Não, não ... apenas amor por essas terras e lembranças de tempos felizes, muito felizes aí passados outrora. Atracção pelo sul. Eu nasci na Beira Coimbrã, não em Coimbra ; numa vila pequenina, um vale entre dois rios - o Anços e o Arunca - de seu nome Soure. Mas habito há 55 anos em Leiria. E há 34 que passo férias de verão e não só no Algarve...
Um abraço das terras do Lis...

António Baeta disse...

Outro abraço, das margens do Arade.