quinta-feira, outubro 28, 2004

Os silêncios da fala

Em tempo de encontro com os poetas de Poesia 61.

Maria Teresa Horta

        • Os silêncios da fala

          São tantos
          os silêncios da fala

          De sede
          De saliva
          De suor

          Silêncios de silex
          no corpo do silêncio

          Silêncios de vento
          de mar
          e de torpor

          De amor

          Depois, há as jarras
          com rosas de silêncio

          Os gemidos
          nas camas

          As ancas
          O sabor

          O silêncio que posto
          em cima do silêncio
          usurpa do silêncio o seu magro labor.

      Maria Teresa Horta
      Vozes e olhares no feminino, 2001



1 comentário:

francisco ricardo disse...

Comento o conjunto de poemas e poetas que juntou no seu blogue: Se anthos, que entra em antologia, significa flor, muito florido, António, deve estar o seu jardim. Um abraço.fcr.