terça-feira, junho 01, 2004

Arrumos e memórias

Andei a arrumar coisas. Uma delas foi precisamente a coluna direita deste blog, que estava a ficar demasiado comprida. Conservei os poetas luso-árabes e ganhei espaço para repor os seus nomes, como anteriormente. Remeti os outros poetas para outro lugar, a que se pode facilmente aceder, terminada a lista dos poetas andalusinos, através de um link que diz POESIA ... de outros poetas. Afinal é só uma questão de facilidade de acesso. Eles encontram-se ao fundo desta página.

Também andei a arrumar jornais e outra papelada e deu-me para partilhar convosco o excerto de uma entrevista que há algum tempo concedi ao Postal do Algarve e em que à questão:

    - Quanto a si o que é que mais poderia ser feito em prol do teatro?
respondia:

    - As necessidades do teatro são as necessidades da cultura.
    Vivemos uma época típica de uma sociedade em mudança, que já não é o que era, mas também ainda não é outra coisa. As pessoas estão mais disponíveis para a frivolidade, para os espectáculos inebriantes de luz e cor, para as coisas fáceis de aceitar, sem grandes elaborações mentais e que possam vir a ser motivo de conversa e de aceitação e identificação social. É o tempo das grandes massas e das empresas voltadas para a satisfação desses desejos fáceis: as televisões, o futebol, o dia-a-dia das grandes e efémeras vedetas, que quase nem têm tempo de chegar a sê-lo. Não estamos em tempo de reflexão, de criação, de honestidade intelectual e o teatro e a cultura vivem precisamente da reflexão, da criatividade e da honestidade intelectual. Tem uma clientela reduzida e, necessariamente, apoios reduzidos. Somos o reflexo da sociedade em que vivemos.



2 comentários:

fcricardo disse...

Olá, António, hoje não vou comentar o seu texto, aliás, pertinente. Aproveitando a sua boleia de "arrumações", venho pedir uma ajuda: o meu blog meusinstantaneos.blogspot.com nasceu enviezado, principalmente, quanto ao percurso para chegar ao "comentário". No seu e noutros que visito, clica-se "comments/ comentário" e abre-se a respectiva janela. No meu, clica-se "comment", abre-se, novamente, para o texto e, no fim do tezto, clica-se "post a comment" e, só então, se abre a janela para o comentário. Não é nada prático. Como poderei endireitar este caminho? Obrigado. Cumprimentos. fcr.

António Baeta disse...

Creio que a situação que me descreve tem a ver com o serviço que utiliza; os comentários do www.blogger.com.
Eu uso outro serviço www.blogextra.comQuer experimentar?
Um abraço.