terça-feira, março 08, 2005

Dia da Mulher e de João de Deus

Afinal tive que interromper, por um dia, a continuação do post anterior, sobre Os Passos, para manifestar a minha solidariedade com todas as mulheres e homens que se esforçam por ver instituída, no dia-a-dia, a igualdade de direitos entre todos os seres humanos, sem distinção de sexo, etnia ou religião e, particularmente, com as mulheres que ainda são violentadas na sua dignidade, ao ser criminalizadas pela prática do aborto.

Quanto a João de Deus, recordo-o através deste poema, bem jocoso, tão ao jeito algarvio:

  • O Dinheiro

    O dinheiro é tão bonito,
    Tão bonito, o maganão!
    Tem tanta graça, o maldito,
    Tem tanto chiste, o ladrão!
    O falar, fala de um modo...
    Todo ele, aquele todo...
    E elas acham-no tão guapo!
    Velhinha ou moça que veja,
    Por mais esquiva que seja,
                  Tlim!
                  Papo.

    E a cegueira da justiça
    Como ele a tira num ai!
    Sem lhe tocar com a pinça;
    É só dizer-lhe: «Aí vai...»
    Operação melindrosa,
    Que não é lá qualquer coisa;
    Catarata, tome conta!
    Pois não faz mais do que isto,
    Diz-me um juiz que o tem visto:
                  Tlim!
                  Pronta.

    Nessas espécies de exames
    Que a gente faz em rapaz,
    São milagres aos enxames
    O que aquele demo faz!
    Sem saber nem patavina
    De gramática latina,
    Quer-se um rapaz dali fora?
    Vai ele com tais falinhas,
    Tais gaifonas, tais coisinhas...
                  Tlim!
                  Ora...

    Aquela fisionomia
    É lábia que o demo tem!
    Mas numa secretaria
    Aí é que é vê-lo bem!
    Quando ele de grande gala,
    Entra o ministro na sala,
    Aproveita a ocasião:
    «Conhece este amigo antigo?»
    - Oh, meu tão antigo amigo!
                  (Tlim!)
                  Pois não!

1 comentário:

JG disse...

Excelente esse poema do nosso João de Deus. Ainda há pouco tempo citei o nosso ilustre comprovinciano no meu blog. E citei, no dia da mulher, um poeta de Vila Real a quem não se tem dado a devida atenção, eu acho.
Tenho, no meu blog, um link para este. Se houvesse retribuição, ficaria encantado. Tanto mais que sou algarvio de gema, embora viva em Lisboa.

Um abraço e parabéns por este seu belo trabalho.
JGomes