segunda-feira, janeiro 05, 2004

A armazenar esperanças

Sim. Com o armazenar de esperanças começou o novo ano: com os votos de Boas Festas, com os desejos de um Ano Melhor, com a aspiração à Felicidade, com o anseio por uma Saúde plena, enfim, com as maiores prosperidades.
O que é senão um armazenar de esperanças esta quase loucura colectiva que nos faz beber, comer, dançar até quase à exaustão, comemorando a vinda de um novo ano, que sucede a um mau ano e que desejamos melhor? De que modo o nosso desejo pode intervir no futuro, a não ser como reserva de esperança, fornecendo energias?

Homens, mulheres, crianças participam desta histeria colectiva. Nela se integram pais, mães e filhos. É universal, porque todos os povos nela participam, se bem que, conforme as civilizações, nem todos proclamemos a mesma data para tal acontecimento; acontecimento que até nem chega a existir, pois não passa de um mecanismo inventado pelos Homens de forma a proceder à contagem do decurso do tempo.

Outro momento colectivo de armazenamento de esperanças ocorreu no Domingo passado, mas desta feita foi uma questão nacional e tribal, nem sequer teve uma expressão maioritária neste pequeno universo português; estas questões tribais são resolvidas pelos homens, numa sociedade patriarcal como a nossa. As mulheres e as crianças sofrem a mera influência dessas vontades e desses actos. Num país onde as mulheres são a maioria, o acontecimento a que me refiro é mesmo minoritário. Numa nacionalidade quase que dividida por três tribos principais, a maioria das vezes com exclusão das restantes, a não ser em confrontos directos, mas onde todas estão sujeitas ao resultado dos acontecimentos que vierem a ter lugar, o armazenar de esperanças domina a mentalidade tribal.

No confronto do passado Domingo, o resultado deverá ter sido de Benfica 1 - Sporting 2.

P.S. Devo confessar que este texto antecedeu o confronto tribal e que, independentemente do resultado, o armazenar de esperanças aconteceu antes, durante e continuará mesmo depois do evento. A tribo derrotada já começou a armazenar esperanças para o próximo confronto.

P.S (2). Este 2º post scriptum serve para informar que me dei ao luxo de ir ao site oficial das tribos colher informações sobre as suas cores, também oficiais.




P.S (3). Por pouco acertava no resultado, felizmente a favor da minha tribo.

2 comentários:

Torquato da Luz disse...

Claro que os parabéns pela vitória do nosso Sporting deviam estar aqui e não na nota anterior.
Outro abraço.

Sara Xavier disse...

Mais um ponto em comum. É bom sabê-lo

Um abraço

Sara