segunda-feira, setembro 11, 2006

Outono


  • É um outono inteiro imerso em armas
    é um sopro de dias
    movendo as suas lentas madrugadas
    e nas manhãs e tardes repetindo

    o céu cobrindo armas
    o sol por entre as árvores deixando
    soprar o movimento único imenso
    da manhã e da tarde a

    madrugada
    das armas renovada
    por um outono tão completo como

    o voo doloroso de ave morta
    ou o sopro do ar sobre o humano
    temor único imenso destas aves

Poemas de Gastão Cruz ditos por Luis Miguel Cintra
Assírio & Alvim, Lisboa 2005

Ouça o poema, na voz de Luis Miguel Cintra

Powered by Castpost

3 comentários:

hfm disse...

ouvi, ouvi, ouvi. Obrigada.

António Baeta disse...

O comentário que aqui deixaste e o que eu deixei no tua Linha de Cabotagem devem ter sido escritos à mesma hora. Terminava a minha escrita quando recebi o sinal de uma mensagem que chegava. Era tua.

woman's secret disse...

Começar a semana com poesia é sinónimo de alegria... ou talvez não...

Uma nova semana tomou o seu lugar, o tempo esse corre sem parar...
Bjx e boa semana