quarta-feira, setembro 08, 2004

A poesia árabe "pré-peninsular" (III)

Culminando esta incursão pela poesia árabe clássica, que não tem outra pretensão senão a de vos despertar a eventual curiosidade, venho hoje na companhia daquele que alguns costumam referenciar como "o maior poeta dos árabes" - Al-Mutanabbi (séc. X).

Aquele século, marcado pela descentralização do poder califal e decomposição do império, marca também, no mundo da poesia, o retorno aos modelos antigos, do classicismo, ao domínio dos valores beduínos sobre os urbanos.

  • Lo bueno de la civilización urbana siempre viene de fuera;
    lo bueno es, en cambio, consustancial a la vida beduina.

    • Sé humilde ante ella.
      Esté lejos o cerca, sométete,
      pues quien no ama no se humilla ni se somete.

      • Los caballeros y la noche me conocen.
        Me conoce el desierto,
        me conoce la guerra.
        Y el papel y la pluma me conocen también.

        • Yo soy aquél cuyas palabras lee el ciego y escucha el sordo.


1 comentário:

Sara Xavier disse...

Yo soy aquél cuyas palabras lee el ciego y escucha el sordo.

Perante isto só o silêncio!